Mídia e Cognição

O mundo atual nos faz ter pressa, num click mudamos de página, abrimos e fechamos janelas,  pesquisamos superficialmente, arquivamos o inútil e “deletamos” o essencial. Só com o passar dos anos, com as experiências vividas e com uma educação/ reflexão aprenderemos a não ter tanta pressa.

O termo Mídia vem da palavra Media em Inglês, referente a meios de comunicação. No final dos anos 60, existia o trocadilho “fazer média” em relação aos profissionais da área de publicidade e um grupo de São Paulo teve a ideia de usar o termo publicando o Anuário de Mídia. O jornalista Paulo Francis usou o termo para se referir a grande imprensa que depois passou a ser usado para meios de comunicação em geral e até para CDs e DVDs.

Será que o acesso a Mídia e a tudo que ela nos oferece atualmente facilita ou favorece o processo de aprendizagem?

Durante o processo da Aprendizagem desenvolvemos várias funções cognitivas como atenção, memória, percepções auditiva, tátil e cinestesia, orientação espacial e temporal, linguagem falada, escrita, funções motoras e funções executivas com metas, planejamentos, organização e execução.  Se a criança é estimulada pelos familiares, profissionais da educação e profissionais da saúde quando necessário, seu desenvolvimento será melhor se os materiais adequados são utilizados, sem valorizar e incentivar a impulsividade em ter em detrimento do ser.

E que materiais são estes?

Vários materiais e atividades simples podem ser utilizados pelos familiares, desde brinquedos próprios para bebes como brincadeiras ao ar livre, corda, bola, bicicleta, livros, jogos de tabuleiro, todos de acordo com a idade. Na escola os profissionais da educação dispõem de vários materiais pedagógicos e atividades adequadas a cada faixa etária, além da oportunidade dos alunos de aprender a compartilhar e se desenvolver socialmente em diferentes grupos, fator de extrema importância para todos. Os profissionais da área de saúde dispõem cada qual de seus materiais próprios adequados a cada caso.

E onde entram os recursos de mídia eletrônica?

Podem fazer parte de todas as áreas citadas desde que não ocupem grande parte do tempo das atividades durante o dia, para que o desenvolvimento aconteça de maneira mais completa. O acesso a jogos eletrônicos não contribui efetivamente para o desenvolvimento da rapidez de raciocínio.  O excesso do uso de jogos eletrônicos estimula demais o centro do prazer ligado ao centro da atenção dando a falsa impressão de desenvolver a atenção; os movimentos de tocar uma tela são extremamente simples sendo usados em programas até para bebes e animais. Está acontecendo uma grande estimulação visual e pouca estimulação da linguagem falada e escrita, percepção tátil, desenvolvimento motor global, desenvolvimento de habilidades sociais e de outras áreas que estimulem um desenvolvimento equilibrado da pessoa. Os recursos da mídia (celulares, aparelhos de áudio, tablet, computador, notebook, televisão, etc) com acesso a internet podem complementar o desenvolvimento da pessoa se forem utilizados de maneira controlada, planejada, com orientação e questionamentos da família e filhos, profissionais da educação e alunos, profissionais da área de saúde e seus pacientes. A afetividade, os movimentos (atividades físicas) e o acesso aos conhecimentos educacionais e culturais sempre serão fundamentais para o ser humano.

 

Carmem Stehling _ Psicóloga e Pedagoga
 

 

Área Restrita