Depoimentos sobre o tratamento da depressão com Estimulação Magnética

"A EMTr salvou minha vida", Martha Rhodes. Livre da depressão, paciente de EMTr lança blog e livro sobre sua jornada

Este depoimento não é de uma paciente do IPAN, mas é importantíssimo para todos que querem saber mais sobre os efeitos da EMTr.

Martha Rhodes foi uma executiva do alto escalão das principais agências de propaganda de Nova Iorque, ela lutava contra a depressão todos os dias para conseguir sair de casa e ir trabalhar. Hoje, é uma entusiasta da Estimulação Magnética Transcraniana (EMTr), método que ela garante ter salvado sua vida. No depoimento abaixo ela conta como chegou ao limite em um tentativa de suicídio e hoje está com sua vida reconstruída e ajudando outros pacientes com depressão. Seu blog e experiência também viraram livro, o original pode ser conferido no link: http://3000pulseslater.com/en/left/home/

Uma mensagem pessoal de Martha Rhodes

Eu gostaria de compartilhar minha experiência com o tratamento de Estimulação Magnética Transcraniana (EMT), do inglêsTranscranial Magnetic Stimulation (TMS).

A EMT teve um importante papel em salvar a minha vida e as vidas de mais de 12.000 pessoas que sofrem de depressão.

A minha história pode parecer inacreditável e assustadora, mas é verdadeira.

Mesmo me sentindo triste nos dias mais felizes da minha vida, eu tive sucesso na minha carreira profissional como executiva de alto escalão em uma das maiores agências de publicidade de Nova York - EUA. Sou bem casada há 37 anos, e tenho dois filhos incríveis. Essa é a boa notícia. Aqui é a má notícia: Com o que parecia ser uma vida perfeita, ninguém poderia ter ficado mais surpreso do que eu por acabar no pronto-socorro de um hospital, por causa de uma overdose de remédios com álcool.

Em 1990, fui diagnosticada com depressão e tomei antidepressivos. Mas, depois de muitos anos de tratamento, eu não sabia que eles tinham parado de funcionar. Eu não conseguia entender por que eu queria morrer quando eu tinha tanta coisa boa acontecendo.

Depois da minha tentativa de suicídio, eu tentei uma variedade de medicações por vários meses e nada ajudou. Na verdade, eu me senti pior do que quando eu comecei o tratamento, tentando encontrar o caminho, ou uma combinação de comprimidos, que iria funcionar. Ou eles eram ineficazes ou os efeitos colaterais eram intoleráveis. Eu estava com medo, frustrada e sem esperança.

O meu lema até aquele momento tinha sido seguir em frente, esconder minha tristeza, e "apenas continuar!". Eu tinha uma poderosa "máscara" que eu usava. Minha carreira de sucesso foi uma prova disso. Infelizmente, minha máscara perdeu a força com a piora da depressão. Meu cérebro não conseguia produzir a química suficiente para manter a minha saúde mental.

Eu vivia em um mundo onde não havia como escapar da preocupação diária, da auto-mutilação e de uma tristeza persistente.

Eu vivia em um mundo onde eu ria quando, na verdade, eu queria me debruçar em lágrimas, fingindo ser feliz. Meu marido sabia da minha depressão e se sentia frustrado por não poder me ajudar.

Eu vivia em um mundo onde eu me sentia culpada por, simplesmente, não conseguir me sentir bem, porque minha cabeça não funcionava e eu sentia medo constante por ter perdido a vontade de viver.

Então, um milagre aconteceu. Através de uma revista, descobri a EMT. O anúncio dizia o seguinte: "tratamento da depressão sem medicamentos". Eu fiz uma consulta com um psiquiatra para me informar e ver se era indicado para o meu caso. O veredicto foi "sim".

Inicialmente eu estava com receio sobre esta nova técnica, mas depois de ver alguns resultados de pesquisas e também saber que a EMT é aprovada pelo FDA, eu fiquei confiante e segura. Isto me tranquilizou muito.

E fiquei surpresa ao descobrir o quão simples era o tratamento com EMT. Eu relaxei em uma poltrona confortável, podia ouvir música ou assistir TV. Uma bobina foi colocada no lado esquerdo da minha cabeça que produzia pulsos magnéticos por quatro segundos, com intervalo de 26 segundos e assim por diante durante trinta e sete minutos, em um total de 3000 pulsos por sessão.

Inicialmente o tratamento foi de cinco dias por semana, durante seis semanas. Agora vou uma vez por mês para tratamento de manutenção, sem quaisquer antidepressivos.

Mas a melhor parte sobre a EMT é: não tenho efeitos colaterais. Não tive dor de cabeça, dor de barriga, desorientação. Não há necessidade do uso de sedativos ou anestesia. Dirijo normalmente e vou para meus compromissos. Perco menos de 45 minutos com o tratamento. A manicure / pedicure leva o mesmo tempo, se não mais!

No começo, eu me questionava se a EMT iria mesmo funcionar. Perguntei a mim mesma: "Como será possível que um estímulo magnético parecido com um pica-pau batendo na minha cabeça possa levar toda essa tristeza e sofrimento embora?"

Tomar um comprimido todos os dias é algo tangível. Você vê, engole e sabe que ele está indo para a corrente sanguínea e fazendo seu efeito. A EMT é muito mais discreta, quase misteriosa. Pode ser invisível e não-invasiva, mas a ciência e a minha experiência pessoal provam que funciona!
Por volta da minha 20 ª sessão, eu acordei um dia de manhã sem aquele sofrimento "UGH!". Este sofrimento era mil vezes pior do que aquele sentimento de: "Eu não queria que fosse segunda-feira e não queria trabalhar! " Sensação essa que eu chamo de "náusea emocional".

Vi uma luz no fim do túnel como se eu tivesse sido retirada de um buraco negro.

Comecei a cantar enquanto dirigia, me sentia mais otimista, voltei a ligar para os meus amigos, sair para jantar, e eu realmente voltei a sorrir. Minha energia aumentou, me sentia cheia de vida e incrivelmente bem.

Estou aliviada e agradecida por existir um tratamento eficaz, não-medicamentoso que é aplicado diretamente na minha cabeça e não afeta o resto do meu organismo. Eu não só voltei a viver, mas ganhei um recomeço. Sinto-me mais viva e alegre agora do que antes. E o mais importante, eu descobri que realmente vale a pena viver!


 

Sempre fui execessivo em tudo

No decorrer da minha vida, para tentar amenizar essa condição, passei a tomar medicamentos, entre eles calmantes, anti-depressivos, drogas ilicitas, entre outros. Virei hipocondriaco e altamente depressivo. Nos últimos dois anos comeceu a sentir dores pelo corpo e passei a consumir analgésicos, junto com calmantes, anti-depressivos e drogas. Tomava quase que diariamente cerca de 16 analgésicos de 4 marcas diferentes por dia e mais 8 calmantes e anti-depressivos (rivotril, trileptol, citalopran, olcadil) além de outras drogas.

Sem saída, vi que minha vida estava acabando. Já não trabalhava direito, passava a noite acordado mesmo com calmantes e pela manhã, pegava no sono e dormia até o meio dia.

Profissionalmente, por mais que me esforçasse comecei a ver que já não era mais o mesmo profissional dedicado e talentoso que sempe fui. A vida social era pior ainda, meu relacionamento com minha esposa que tanto amo estava acabando, meus filhos relegados a segundo plano e meus pais já de idade a terceiro plano.

Com a ajuda de minha esposa, procurando salvar o casamento, recuperar o amor pelas milhas filhas e pais e voltar a ser o profissional de antes, procurei o IPAN e inicie o tratamento de neuroestimulação cerebral.

Venho realizando o tratamento há cerca de 75 dias. Fiz mais de 40 sessões e acredito que seja o fator predominante da mudança de minha vida. Nunca senti qualquer efeito colateral. Minha melhora foi de 100%. Não voltei mais a utilizar substâncias químicas, e os remédios apenas com prontuário médico dos profissionais do IPAN.

Hoje sou outro homem. Não sinto falta de qualquer droga e minha depressão acabou dando lugar ao amor a minha família e a vontade de trabalhar. Perdi 8 quilos, sou ativo e voltado para as questões familiares e profissionais.

Hoje tenho o IPAN como um salva-vidas. Foi aqui, através de seus profissionais que consegui voltar a viver e dar valor a vida. Sempre fui muito bem atendido e assistido por todos.

A. R., jornalista, 46 anos


 

Vivia num quarto, não tinha atividade nenhuma. Agora, minha disposição aumentou muito, os períodos de tristeza e depressão diminuíram significativamente

Sofro de depressão há mais de doze anos. Cheguei a realizar, por duas vezes, o tratamento com ECT (Eletroconvulsoterapia) em outra clínica, passando por 16 a 18 sessões em cada período do tratamento, mas não obtive melhora e senti perda de memória.

Quando descobri o tratamento de EMTr, através da internet, tive muita esperança e expectativas de que poderia melhorar. Até hoje, já realizei vinte sessões do tratamento com EMTr. Melhorei em vários aspectos, desde higiene pessoal, disposição de fazer coisas que não fazia antes, diminuição de fobia social, minha vida voltou a ter sentido, hoje tenho vontade de viver! Não tenho nenhum efeito colateral e continuo utilizando anti-psicóticos e antidepressivos. Hoje, saio do quarto para deveres e atividades, coisa que não fazia há muito tempo. Iniciei o tratamento dentário, após 10 anos sem estes cuidados. Viajei para outra cidade e agora penso em viajar para o exterior, antes nada disso passava por minha cabeça. Passei de 3 a 4 anos sem nem mesmo sair de minha cidade.

Vivia num quarto, não tinha atividade nenhuma. Agora, minha disposição aumentou muito, os períodos de tristeza e depressão diminuíram significativamente, estou pensando em voltar a estudar informática, já que sou técnico de informática. E também a trabalhar.

Minha família percebeu a melhora através de minhas atitudes e pelas iniciativas que estou tendo durante o tratamento.

No IPAN, me sinto muito à vontade, os profissionais são muito simpáticos. Muito agradável.

Agradeço, especialmente, à Doutora Marina. A senhora tem sido muito importante na minha vida, nossas conversas diárias, seus conselhos, sua ajuda, meus medos que exponho a você.

Dra. Marina, se pudesse decifrar você, eu a definiria como um ANJO, que apareceu na minha vida, um ANJO que veio me tirar das trevas, da escuridão, do quarto fechado, da depressão, do marasmo etc.

A senhora está me devolvendo a vontade de viver, com a luz onde havia trevas, sem depressão, sem medo, um novo fôlego de vida, uma energia positiva, uma vontade de realizar coisas que pensava que não conseguiria mais, você me dá esperança de uma vida nova, com metas e desafios a serem vencidos, o caminho é árduo, mas com sua ajuda, tenho conseguido vitórias e o mais importante, voltei a sonhar, sonhar com um futuro e expectativas positivas que a muito tempo não achava que era possível.

Agradeço a Deus por você ter aparecido na minha vida e serei grato pelo resto da minha vida por ter conhecido a senhora.

Muito Obrigado, Dra. Marina.

Do seu amigo,

F. C., 35 anos, estudante, São Paulo-SP


 

Sentia que nada estava bom e em alguns momentos achava que iria ficar louco

Minha depressão começou no início de julho, foi muito forte e me deixou com uma insônia que aumentava ainda mais meu sofrimento, dormia apenas 3 horas noite. Não tinha mais vontade de trabalhar, sentia muita fraqueza, desânimo e cheguei a perder 3 kilos. Meu comportamento também não era o mesmo, mudava muito, um dia estava irritado, outro desanimado, sentia que nada estava bom e em alguns momentos eu achava que iria ficar louco.

Iniciei meu tratamento no IPAN e já no terceiro dia comecei a sentir melhora, realizei 10 sessões de EMTr e não senti nenhum tipo de efeito colateral. Com 1 semana meu apetite voltou e comecei a recuperar meu peso, fiquei mais animado e tudo começou voltar ao normal. Hoje me sinto totalmente curado, sinto alegria de viver, acordo com vontade de trabalhar e agradeço aos profissionais do IPAN.

Tomei e ainda tomo medicamentos antidepressivos para assegurar que não tenha recaídas. Foi através do tratamento e dos profissioais do IPAN que hoje me sinto feliz. Lá tem profissionais competentes e por isso, sei que o IPAN vai prosperar e crescer ainda mais. Fui muito bem tratado, desde a recepcionista até o Dr. Marco e Dr. Guilherme, todos foram ótimos.

Abraços para o Dr. Marco e Dr. Guilherme!

V. D., 45 anos, autônomo, São Paulo


 

Com doença de Crohn minha vida ficou complicada e cada vez mais deprimida

Sofro de depressão há oito anos, desde que fui diagnosticada com a doença de Crohn, por ser muito limitadora, minha vida ficou complicada e cada vez mais me sentia deprimida. A doença de Crohn ataca todo o sistema digestivo e traz inúmeros problemas, dores e até mesmo a impossibilidade de levar uma vida normal. Sofria de dores terríveis, tomava cortisona e cheguei a engordar 30 quilos, sentia dor dia e noite e esta situação só agravava minha depressão.

Já tomava antidepressivos, mas não havia efeitos significativos. Há dois anos conheci o IPAN (Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação) e comecei a me tratar com a equipe, passei por sessões de EMTr (Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva) sem sucesso no resultado, realizei sessões de ECT (Eletroconvulsoterapia), obtive melhora, mas ainda não estava bem. Foi quando a Dra. Marina e o Dr. Moacyr optaram, com meu consentimento, em aplicar sessões de EMTr dos dois lados do cérebro ao mesmo tempo, um tratamento pioneiro que ainda não havia sido aplicado.

Após as primeiras 15 sessões já comecei a perceber mudanças positivas, depois de 20 aplicações já estava entrando em remissão da doença de Crohn, ou seja, deixei de sentir os sintomas que me abalavam, e obtive melhora significativa em minha depressão. Acredito que meu caso seja único no mundo e será levado ao XXVII Congresso Brasileiro de Psiquiatria pela equipe do IPAN.

Minha melhora veio por meio do conjunto dos tratamentos, tomo remédios, faço EMTr e psicoterapia, atribuo em torno de 50% de minha melhora à psicoterapia realizada. Também sinto que a EMTr potencializa o efeito das medicações. Já havia tomado vários remédios, alguns faziam efeito por algum tempo, mas logo decaia, outros nem chegavam a fazer efeito, troquei por diversas vezes, mas sempre com os mesmos resultados. Agora com a EMTr sinto que os medicamentos fazem o efeito necessário.

Minha remissão da doença de Crohn também foi um fator imprescindível em minha melhora da depressão, minha vida era extremamente limitada e agora já posso sair, viajar e trabalhar sem preocupação e principalmente viver sem as dores constantes. Além de que, se estou bem emocionalmente, dificilmente o Crohn ataca.

Atualmente faço psicoterapia, tomo medicamentos e realizo sessões de EMTr duas vezes por semana e em intervalos de 2 ou 3 meses, quando começo a sentir que não estou tão bem, passo por séries seguidas de aplicações (por volta de 10 ou 20).

Posso dizer que os tratamentos do IPAN e seus profissionais mudaram a minha vida.

Eva M. G., 39 anos, comerciante, São Paulo


 

Logo nas primeiras aplicações comecei a sentir melhora e sinto progressos até hoje.

Sofro de depressão há oito anos, já realizei tratamento com Eletroconvulsoterapia (ECT) além de utilizar inúmeros medicamentos, não obtive bons resultados com nenhuma das tentativas, também já havia passado pelo tratamento de EMTr (Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva) com outros profissionais e não obtive resultados. Há mais ou menos oito meses iniciei meu tratamento no IPAN (Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação) e logo nas primeiras aplicações comecei a sentir melhora, sendo esta progressiva até hoje.

As mudanças em minha vida foram mais do que significativas, antes nada tinha sentido e estava indo por um caminho de pensamentos muito perigosos, pensamentos estes que nem de longe me acometem mais. Atualmente faço uso de apenas um medicamento e faço o tratamento com EMTr (Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva), não tenho efeitos colaterais e me sinto bem durante e após as aplicações.

Os profissionais do IPAN (Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação) são excelentes, atenciosos, além de, claro, competentes. Gostaria de registrar o meu agradecimento, especialmente à Dra. Marina e ao Dr. Moacyr pelo carinho e atenção que sempre tiveram comigo, e principalmente pela transformação que efetuaram em minha vida, a partir deste tratamento.

Gostaria que todas as pessoas que sofrem de depressão tivessem acesso aos tratamentos e à equipe do IPAN (Instituto de Pesquisas Avançadas em Neuroestimulação).

Joaquim V. S., 55 anos, administrador, residente no Rio de Janeiro, RJ


 

Não conhecia o tratamento com EMTr, mas após a leitura de algumas reportagens resolvi tentar a Estimulação Magnética

Sou dependente químico e sofria com todos os efeitos desta doença, a mania, a depressão, as crises, além de passar por 2 internações. Claro que o acompanhamento psiquiátrico com um especialista em dependência, psicoterapia e muita força de vontade são os alicerces para que tudo dê certo, mas nenhum tratamento ou remédio teve tamanho resultado na diminuição de minha fissura, aquilo que me mantinha neste círculo vicioso da dependência, como a EMTr. Recomendo.

DHT


 

Há 17 anos sofro de depressão, associado a dependência química.

Soube do tratamento de estimulação magnética através de um outro paciente, da mesma cidade, só que com problema há 32 anos.

Tinha receio por já ter tentado 18 tratamentos de alto custo em Goiás, sem obter sucesso em nenhum deles, mas o EMTR foi e está sendo o maior sucesso. Já terminei as 10 sessões e sinto como se tivesse nascido de novo. Sem nenhum efeito colateral. Agora utilizo Diazepam em quantidade 3 vezes menor.

Hoje sinto uma alegria que tinha perdido há 17 anos e já não tinha esperança de voltar, até o dia em que conheci o IPAN. Voltei a sorrir, a valorizar a família, fazer pequenas coisas do dia a dia, como desejar um bom dia, uma boa tarde ao meu semelhante, como também trabalhar, vou fazer uma faculdade, passear, enfim, viver com dignidade.

Me senti bem recebido no IPAN, gostei de seus profissionais competentes da recepção, a secretária, e principalmente dos médicos, ao final do tratamento, eles parecem que são da família.

G. V. Silva – GO, 35 anos, vendedor


 

Já na 5ª sessão, incrivelmente, meu estado de humor melhorou muito, ficou ótimo

Sofro de depressão e dependência de cocaína há alguns anos. Passei por inúmeros tratamentos, mas nenhum surtiu o efeito que eu esperava.

Conheci o IPAN por indicação de um amigo. Fui muito bem recebido, senti confiança nos profissionais. Iniciei o tratamento de EMTr (Estimulação magnética trascraniana) e já na 5ª sessão, incrivelmente, meu estado de humor melhorou muito, ficou ótimo.

Também senti uma mudança interior significativa, algumas vezes me pergunto se isso não pode ser psicológico, mas seria muita coincidência. O gatilho que me levava ao uso da droga não mais foi disparado. Meu relacionamento familiar foi resgatado e observei melhoria no desempenho de todas as tarefas do meu dia a dia. Há mais de um ano venho fazendo as sessões de manutenção e continuo me sentindo bem.

A.M., empresário.


 

Poesia de autoria de JP, escrita durante o tratamento com EMTr

Se somos viagem elétrica

Energia liberada ou travada

Ao trem subi

Derramei no meu olhar vazio/melancólico

Trilhos esparsos

Impulsos e contrações me permiti

Estímulos repetitivos consumi

Irônico sorri

Por desconhecer o caminho que percorri


 

Convivo com a depressão há 17 anos, fazia tratamentos com vários médicos e utilizei diversos medicamentos, mas nada adiantou, havia apenas a piora. Foi quando conheci a Dra. Marina em sua clínica, o IPAN.

Tenho 53 anos e convivo com a depressão há 17, fazia tratamentos com vários médicos e utilizei diversos medicamentos, mas nada adiantou, havia apenas a piora. Foi quando conheci a Dra. Marina em sua clínica, o IPAN.

Comecei o tratamento com ela e em seguida comecei o EMTr (Estimulação Magnética Transcraniana). Tive muita confiança e esperança de que daria certo, pois essa era minha última opção.

Realizo o tratamento com EMTr desde Dezembro de 2013 e hoje consigo ver a vida de outra maneira. Antes vegetava, dormindo o dia todo, hoje consigo fazer tudo o que quero. Havia muito tempo que queria ler um livro e não conseguia, mas um dia sai do Consultório após uma sessão de tratamento, fui a uma livraria comprei um livro de 400 páginas e o devorei em uma semana. A partir daí emagreci mais de 15 kg.

Foi maravilhosa a minha mudança. Meu comportamento mudou, estou mais calma e tranquila, sinto vontade de agradar minhas filhas. Houve uma melhora em tudo. Não sinto mais a cabeça confusa, devido a muitos remédios que tomava, hoje uso medicamentos em menor dosagem.

Não tenho o que falar dos profissionais do IPAN, pois os dois médicos são muito eficientes e profissionais, me ajudaram muito. Quando chego ao IPAN tenho vontade de sempre ficar mais um pouco, amo o lugar é confortável.

S., esteticista, 53 anos. São Paulo-SP.

 

 

Fonte: http://www.neuroestimulacao.com.br/emtr.php?content=50

 

Área Restrita