“EDUCAR, PORQUE NÃO?”

As pessoas são únicas, portanto, não há uma fórmula mágica que funcione igualmente para todos. É muito importante conceder a si mesmo o direito de errar. Isto não significa incentivar os erros, mas reconhecê-los e mudar as estratégias para lidar com eles.
No século atual é difícil ser paciente; a comunicação é imediata virtualmente, os desejos de consumo são imediatamente satisfeitos com inúmeras possibilidades para que as pessoas adquiram o que desejam.

A busca e a sensação de Poder, de Controle sobre pessoas e coisas são muito intensas atualmente. A impulsividade é incentivada pela mídia.
Então como é que, apesar de tanta informação disponível, tanto poder e controle, educar os filhos às vezes é tão difícil?

 

Existem pontos que facilitam este processo e que devem ser relembrados e praticados:
Não ter medo de dizer não, tolerar a frustação e sofrimento do filho, pois isto vai ajudá-lo a amadurecer, a controlar a impulsividade e a suportar as frustrações que enfrentará em sua vida adulta.

Aceitar todos os sentimentos de seu filho, como medo, dor, raiva, alegria, tristeza, pois um ser humano tem todos estes sentimentos. Aceitar é entender e fazê-lo entender sobre isto.
O modelo “eu me sacrifico tanto por você” também não é saudável, quanto maior o sacrifício, maior a cobrança.
Promover a autoestima de seu filho com elogios e carinho sem nunca fazer comparações competitivas com irmãos, amigos, primos, pois cada pessoa é única.

Elogiar gradualmente as aprendizagens, cada conquista, cada mudança alcançada, isto é a Modelagem de Comportamento. Reforçar positivamente é muito mais eficaz que punir.
Ser um bom exemplo como pai ou mãe, isto é a Modelação. O modelo “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não promove a educação.

Ser consistente com os limites mesmo nos dias em que você, pai ou mãe, está de bom humor, senão as regras não serão cumpridas. Escolha antes os limites que deseja estabelecer.

Explicar os limites e consequências antes, de maneira clara, breve e firme.
A Paciência e a Persistência são fundamentais no processo da Educação e ao educar as pessoas tem sempre a oportunidade de novas Aprendizagens.

Carmem Stehling _ Psicóloga e Pedagoga  

BIBLIOGRAFIA:
TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE (TDAH) – BARKLEY,RUSSEL A. – ARTMED
COMPÊNDIO DE PSIQUIATRIA – KAPLAN   ARTES MÉDICAS
COMPREENDENDO SEU FILHO – UMA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DA CRIANÇA- CANAAN-OLIVEIRA,SÍLVIA E OTS – PAKA-TATU
 TDAH – DISTRAÍDO E A MIL POR HORA _ SENA, SIMONE SILVA; NETO, ORESTES DINIZ  ANOMELIVROS
 

Área Restrita