Inteligência Musical

Vivemos num mundo competitivo, onde não se pode mais perder tempo. Todos buscam seu espaço e já não podem desfrutar das muitas coisas boas da vida. Não temos tempo de ver o colorido e a beleza que estão a nossa volta. De sentir os sons e melodias que o universo da música pode nos proporcionar.
 
O ser humano é o único que tem a capacidade de se emocionar, sentir prazer em suas descobertas e produções. É inteligente e tem o privilégio de fazer escolhas, de se alegrar, e de sentir prazer no que faz. Mas, o mundo caminha para outro lado. Vence quem é melhor!
 
Para os pais mais atentos, vem a preocupação com aquele adolescente ou jovem que não se sente capaz de vencer tantos obstáculos que estão a sua frente. O sentimento de frustração é inevitável. Baixa auto-estima, culpa, e o rendimento acadêmico cada vez mais abaixo do esperado.
 
Em qualquer meio vamos encontrar as diferenças, pois as inteligências são múltiplas. É importante redirecionar o potencial da criança, adolescente ou jovem para algo que lhe trará prazer e beneficiará o processo de aprendizagem escolar.
 
Então surge aí a música como uma ferramenta capaz de fazer a diferença. Aprender a tocar um instrumento...Temos aí uma nova possibilidade, uma janela aberta onde é possível o indivíduo se realizar e desenvolver sua atenção, foco e concentração.
 
A criança já desde bem pequena manifesta a intimidade que o ser humano tem com os sons e ritmos. As escolas poderiam investir mais em aulas de instrumentos musicais e teoria musical. Com certeza surgiriam grandes talentos e muitos problemas até mesmo comportamentais seriam amenizados.
 
A proposta é experimentar e oferecer oportunidades que vão além do cotidiano escolar e do que se espera de uma pessoa. Aprecie as melodias, os sons, as notas musicais. Aprecie a variedade de instrumentos. Visite escolas de música com seu filho, deixe-o ser curioso com o mundo da música e dos sons.
 
Aprendendo a tocar um instrumento com prazer e não como uma obrigação, ele terá uma nova visão de si mesmo. Os apelos, cada vez mais imediatos do mundo, não poderão anular o prazer pessoal de uma grande conquista.
 
 
 
Fabíola Batista
Pedagoga/Psicopedagoga

Área Restrita