O TDAH e as comorbidades

No texto publicado anteriormente falamos sobre o TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade), seus sintomas, estatísticas, tratamento e importância do trabalho de profissionais especializados em conjunto com a família e escola.
Hoje vamos explicar algumas questões sobre COMORBIDADES:

Mas afinal, o que são comorbidades?
O termo comorbidade é formado pelo prefixo latino "cum", que significa contigüidade, correlação, companhia, e pela palavra morbidade, originada de "morbus", que designa estado patológico ou doença.

Deve ser utilizado apenas para descrever a coexistência de transtornos ou doenças e não de sintomas.Co-morbidades são outras patologias que incidem sobre o mesmo paciente ao mesmo tempo.Pode se desenvolver a partir do transtorno básico, o T.D.A.H., ou paralelamente a este, podendo o paciente ter uma, duas ou mais co-morbidades com graus variados de intensidade.

E como podemos classificá-las?
As co-morbidades mais freqüentes em pacientes portadores de T.D.A.H. são: Transtorno de Conduta (50%), Transtorno Opositor Desafiador (40 a 60 %), Abusador de Substancias ou Dependência  Química (40 %), Transtorno da Ansiedade Generalizada (34%), Depressão (20%), Transtorno do Humor Bipolar(20%),Transtorno Obsessivo Compulsivo e Tiques Motores(11%) Síndrome de Tourrete (6.5%), Transtorno de Aprendizagem (dislexia, dislalia, disfonia, disartria, discalculia, disgrafia, 10% ) e outros Transtornos como Enurese Noturna, Jogador Compulsivo, Comprador Compulsivo, Comer Compulsivo, Falar Compulsivo, Hipersexualidade, Gravidez Precoce, doenças Sexualmente Transmissíveis, etc.

Quem tem TDAH sempre tem alguma comorbidade?
As Co-morbidades em T.D.A.H. são regras e não exceções, pois 51 % dos pacientes infanto-juvenis portadores de T.D.A.H. apresentam pelo menos mais de um diagnóstico psiquiátrico.
Podemos confirmar com os dados de pesquisa do Dr Biederman et al, que além de confirmarem este fato, mostra que em adultos a situação é mais grave, pois as co-morbidades chegam a 77 % dos pacientes que são portadores de T.D.A.H.                       .

Quem trata das comorbidades?
Um Médico conhecedor do T.D.A.H.e um Psicólogo que trabalhe com terapia cognitivo-comportamental como técnica psicoterápica dando orientação à escola de como lidar e manejar esta criança e orientação aos pais ou cuidadores.

Qual é o tratamento?
O modelo internacional para o tratamento de pacientes T.D.A.H. e Co-mórbido é o Atendimento Familiar, Orientação à Escola, Terapia Cognitiva-Comportamental e a Farmacoterapia.
Quando necessário, a equipe poderá ser ampliada e os profissionais de áreas afins poderão ser convidados para avaliar o paciente, emitindo laudos técnicos de seus pareceres.
Em casos de distúrbios de aprendizagem, como: dislexia, discalculia, disartria, disfonia, dislalia, etc, o Fonoaudiólogo deverá ser consultado e o paciente receberá um tratamento interdisciplinar mais amplo.
Da mesma forma, caso haja falhas ou lacunas pedagógicas a serem preenchidas o Pedagogo ou o Psicopedagogo poderá ser incluído na equipe para emissão de pareceres e participação no atendimento.

Como a família e a escola podem ajudar?
A família quando toma conhecimento das informações citadas pode procurar os profissionais indicados acima para que em conjunto participem do tratamento do portador de TDAH e Comorbidades.
A escola tem com seus educadores a oportunidade de identificar e encaminhar os alunos que necessitem acompanhamento adequado e trabalhar em conjunto com o Médico, o Psicólogo, o Fonoaudiólogo, o Psicopedagogo e a Família.

No próximo texto abordaremos questões sobre o TDAH e TOD (Transtorno Opositivo Desafiador).
Até lá.
Carmem Stehling (Psicóloga e Pedagoga, Sub-Coordenadora da AGRADA que é uma colaboradora da ABDA).

Área Restrita